Curiosidades sobre o setor de energia que você precisa saber

Um levantamento do Ministério de Minas e Energia revelou que, ao longo do ano de 2016, o Brasil produziu 578,9 TWh de energia elétrica.

Apesar de o número representar uma queda de 0,9% frente ao ano anterior, ele torna o Brasil um dos líderes mundiais de produção de energia. Parte disso pode ser explicado pelo grande potencial energético, devido a elementos como:

  • Rios caudalosos;
  • Fartura de radiação solar;
  • Locais com potencial eólico;
  • Território de grande extensão.

Ao mesmo tempo, o país passa por um momento de virada: há uma dependência cada vez menor dos combustíveis fósseis.

Ao longo de 2016, a queda de produção a partir destes materiais caiu impressionantes 52,8%, fazendo que ele tenha apenas 2,1% de participação na produção de eletricidade.

Em contrapartida, a produtividade das hidrelétricas cresceu 5,9% no acumulado do ano, representando uma produção de 380,9 TWh.

Isso evidencia que o mercado energético passa por uma mudança. Os desafios socioambientais têm feito com que as nações se voltem a matérias-primas e modos de produção com menos impacto. Confira algumas curiosidades a respeito desse mercado em mutação.

Há uma norma regulamentadora a respeito

Assim como muitos outros segmentos econômicos, o trabalho com energia elétrica é regido por uma norma regulamentadora: a NR-10. Ela estabelece alguns procedimentos que visam garantir a segurança e a integridade física de quem trabalha na área.

Por conta disso, é necessário que estes profissionais façam um curso nr10 e estejam cientes das precauções necessárias.

Na verdade, a exigência de um curso de 40 horas está na própria norma. Além de boas práticas sobre eletricidade em si, aprende-se medidas sobre primeiros socorros e combate a incêndios.

A energia renovável é mais barata

Há alguns anos, ter cidades ou países inteiros abastecidos unicamente com energia renovável pareceria algo impossível.

O motivo? O valor exorbitante dos equipamentos e da mão-de-obra necessária para tirar esses projetos do papel.

Contudo, os avanços tecnológicos e a descoberta de novas maneiras de converter agentes renováveis em energia mudou este cenário.

Atualmente, a eletricidade proveniente de algumas dessas fontes pode ser mais barata que aquela produzida pelos métodos tradicionais.

Os números comprovam os avanços. Um levantamento da consultoria Bloomberg New Energy Finance revelou que a energia solar preço já é o mais em conta do mercado em 58 países, incluindo o Brasil.

A energia solar doméstica se paga

A queda do custo de produção da energia baseada em fontes renováveis não tem feito apenas com que governos invistam mais nela: cada vez mais, famílias também apostam em métodos ecológicos para gerar energia para suas casas.

Em todo o Brasil, há empresas especializadas na instalação de sistemas de energia fotovoltaica para residências.

Para muitos, o investimento necessário é um impeditivo: muitas vezes, o custo do serviço é o mesmo de um carro popular.

Entretanto, nem todos levam em consideração que, com o tempo, o sistema se paga. Afinal, como a família gastará menos eletricidade proveniente da rede de distribuição, economiza na conta de luz. Dependendo do equipamento instalado, o valor pode ser compensado em até seis anos de uso.

Não apenas eletricidade

Apesar de muitas pessoas conectarem a energia solar exclusivamente à eletricidade, este não é o único tipo de energia que pode ser obtido a partir do astro: também é possível contar com um aquecedor solar, tanto em uma residência quanto em um comércio.

Como o próprio nome diz, este aparato usa a luz do sol para criar energia térmica. Esta, por sua vez, pode ser usada para aquecer a água usada no local.

Deste modo, dispensa-se métodos de aquecimentos mais tradicionais – e poluentes -, como os aquecedores elétricos tradicionais, ou a gás.

O eletricista pode se especializar em um segmento

Toda a inovação pela qual o segmento de energia passa não seria possível sem um profissional chave: o eletricista.

Ele é treinado para fazer a instalação de sistemas elétricos conforme as normas pertinentes ao setor.

Contudo, ao fazer o curso de eletricista, nem todos percebem que podem se especializar em uma área específica.

Afinal, montar um circuito doméstico é muito diferente de cuidar da parte elétrica de automóveis, por exemplo.

Um dos caminhos que podem ser seguidos é o da energia renovável – que, ao que tudo indica, tem tudo para crescer nos próximos anos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *