Tudo sobre a limpeza e impermeabilização de fachadas

Muitos edifícios – principalmente os mais antigos – padecem de problemas decorrentes da presença de umidade em sua estrutura.

Eles podem ir desde contratempos menos graves, como mau cheiro e a formação de mofo, até fatores que podem comprometer a estabilidade e a segurança do imóvel, como as infiltrações.

Por conta disso, é extremamente recomendável investir na impermeabilização de fachada periodicamente.

Neste procedimento, um profissional aplica produtos desenvolvidos especificamente para barrar a entrada de água no concreto da estrutura, protegendo-o da ação do vento e da água da chuva.

Quer aprender mais a respeito desta técnica? Confira algumas informações importantes a respeito dela:

Como funciona a impermeabilização de fachadas?

Atualmente, os engenheiros civis não apenas estão mais atentos aos riscos que a umidade oferece à estrutura de um indivíduo, como, também, dispõem de mais ferramentas para evitá-los.

Por conta disso, em construções modernas, a impermeabilização não costuma ser um problema: ela já está embutida no projeto original.

Isto, porém, não acontece com os edifícios antigos, erguidos antes que se tivesse este conhecimento.

É por conta disso que eles são os que mais apresentam problemas de infiltração.

Felizmente, isso é perfeitamente sanável. A limpeza de fachada predial, quando aliada com a aplicação de um produto impermeabilizante.

Pode evitar o alastramento do mal, poupando a estrutura do imóvel do desgaste e, seus moradores, do risco de o edifício ser condenado.

Como é feita a impermeabilização de fachadas?

Impermeabilizar um imóvel não é uma tarefa simples: há um procedimento específico para isso, que deve ser seguido à risca pela empresa de limpeza e manutenção predial contratada para assumir o serviço. Confira suas etapas:

1. Limpeza

O primeiro passo sempre deve ser remover a crosta de sujeira que se forma naturalmente na fachada do edifício a ser impermeabilizado.

Para isso, pode-se usar um jato de água em alta pressão, que, por si só, pode fazer com que ela se solte.

2. Preenchimento de vãos

Depois da limpeza, há mais uma etapa a ser seguida antes da aplicação do impermeabilizante: regularizar a superfície da fachada.

Nela, o operário usa uma pistola para preencher os vãos que porventura existam no local. O material mais indicado para tal é o mastique acrílico.

3. Primeira camada de tinta

Com a superfície limpa e devidamente regularizada, chega a hora de iniciar a aplicação do impermeabilizante.

Que nada mais é do que uma tinta acrílica solúvel em água. Este produto é comercializado com vários nomes, tais como:

  • Tinta emborrachada;
  • Tinta impermeabilizante;
  • Tinta flexível;
  • Fachada.

Vale ressaltar que ele não é aplicado puro, mas diluído em água: na primeira camada, indica-se que a mistura tenha 30% de água.

Além disso, a aplicação deve ser generosa, com a preocupação de assegurar uma superfície homogênea para receber as demais.

Ela também deve ser feita com um intervalo de, no mínimo, 24 horas após o preenchimento e a regularização da fachada.

Segunda camada de tinta

Após a secagem da primeira camada, pode-se aplicar a segunda. A diferença é que ela sofre menos diluição: apenas 15% da mistura deve consistir em água.

Terceira camada de tinta

Quando a segunda cama seca, já é possível fazer a terceira – e última – aplicação. Ela leva ainda menos água: este elemento deve ser apenas 10% da mistura.

Vale ressaltar que, ao contrário de outras tintas, não é preciso aplicar nenhum outro material de acabamento: normalmente, em sete dias se forma uma película protetora sobre a superfície.

A limpeza pode ser feita isoladamente?

Em alguns casos, o edifício não apresenta problemas estruturais, e o único fator que gera incômodo é a sujeira em seu exterior.

Nesses casos, pode-se contratar uma empresa que faça apenas a lavagem de fachada com água, sem a aplicação do produto impermeabilizante.

De qualquer maneira, vale a pena aproveitar o procedimento para analisar a superfície mais de perto, buscando elementos como rachaduras e vincos, que podem ser sinônimo de problemas.

Quais as medidas de segurança necessárias?

Vale ressaltar que observar o procedimento correto não é o único fator que merece atenção na impermeabilização: também é preciso ter cuidado com a segurança.

Isto pois, normalmente, este serviço exige trabalho em altura.

Portanto, é fundamental que a empresa contratada forneça todos os equipamentos (EPIs) necessários para manter a segurança dos trabalhadores enquanto durar o procedimento.