Detalhes da escolha ideal de equipamentos para obra

Não é preciso ser especialista em engenharia civil para saber que uma obra é sempre um processo trabalhoso e demorado. Afinal de contas, erguer um imóvel é uma tarefa complexa, já que é preciso levar em conta a segurança e a estabilidade em todos os momentos.

A boa notícia é que, nas últimas décadas, administrar uma construção têm ficado mais fácil. O motivo por trás disso é a popularização do uso de equipamentos para obras, tais como o caminhão munck, o guindaste e, até mesmo, as retroescavadeiras.

Como eles auxiliam na realização de uma série de tarefas, como o transporte de mercadorias pesadas e/ou em grande quantidade, eles tornam a rotina de trabalho no canteiro muito mais eficiente.

Apesar disso, é preciso ter em mente que a aquisição ou a locação de qualquer máquina deve ser feita de um modo planejado.

Do contrário, corre-se o risco de ver-se às voltas com um equipamento inútil ou mesmo inadequado às necessidades do projeto.

Quer aprender mais sobre isso? Então continue lendo e confira algumas dicas importantes para escolher os equipamentos para a sua obra:

  1. Faça um levantamento de necessidades

Ao contrário do que muitos pensam, uma obra começa muito antes do assentamento do primeiro tijolo. Para garantir que o seu resultado será bom, é preciso fazer um planejamento meticuloso antes da parte prática, definindo variáveis, tais como:

  • O orçamento disponível;

  • A mão de obra necessária;

  • O cronograma a ser seguido;

  • A quantidade de material de construção que será necessária.

Para que essa etapa seja realmente útil à obra, é fundamental que o levantamento de necessidades do projeto seja meticuloso, estipulando desde a quantidade de pedra brita branca até a capacidade dos equipamentos usados no canteiro. Portanto, a realização dessa estimativa é o primeiro passo para garantir que as máquinas serão bem escolhidas.

  1. Decida entre a compra e a locação

Por mais que muitas pessoas não considerem essa possibilidade, não é preciso comprar uma máquina para usá-la em um canteiro de obras: também há a possibilidade de se investir em locar guindaste ou qualquer outro item.

Devido aos benefícios proporcionados por esse serviço, ele tem se tornado cada vez mais popular. Além do custo mais baixo, ele aumenta as chances de que a sua equipe trabalhe com maquinário de última geração e que eventuais defeitos, bem como a substituição do item, fiquem sob a responsabilidade do fornecedor.

Apesar disso, é preciso ter em mente que, se você optar pela locação ao invés da compra, é fundamental que o cronograma transcorra sem grandes atrasos. Do contrário, pode ser preciso devolver o equipamento sem que a tarefa destinada a ele esteja finalizada.

  1. Escolha um fornecedor de confiança

Independentemente de se optar pela compra ou pelo aluguel, é fundamental que o fornecedor usado para se obter tanto máquinas quanto materiais de construção tenham uma boa reputação.

Do contrário, há a possibilidade de que as mercadorias com as quais ele trabalha não sejam de qualidade, ou mesmo que ele não cumpra o que foi estipulado no contrato.

Para evitar armadilhas, recomenda-se fortemente que, ao procurar uma empresa para fazer a locação de container ou de qualquer outro equipamento, faça-se uma pesquisa extensiva a respeito de seu histórico.

Além disso, é interessante procurar saber a opinião de clientes anteriores, de modo a saber se o negócio cumpre suas promessas.

Do contrário, é melhor procurar outro fornecedor, por mais que isso signifique gastar um pouco mais do que estava previsto: o investimento extra retorna sob a forma de uma menor chance de problemas no transcorrer dos trabalhos.

  1. Verifique o estado das máquinas

Por último, mas não menos importante, antes de realizar o fechamento da compra de uma máquina ou a assinatura de um contrato de aluguel, é essencial fazer uma verificação de seu estado de conservação.

Para tanto, deve ser marcado um dia e um horário com o proprietário, de modo que ele prove se o equipamento tem as características prometidas, seja ele um simples container ou um robusto guindaste.

Vale ressaltar que, se a outra parte se recusar ou mesmo criar empecilhos para que isso seja feito, deve-se suspeitar. Afinal de contas, caso o item esteja no mesmo estado de conservação divulgado e esteja funcionando perfeitamente, seu proprietário não terá nenhum problema ao apresentá-lo a quem pretende comprá-lo ou alugá-lo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *