Da energia a estrutura: projetos residenciais que você pode precisar

Um projeto energia solar residencial é um método que consegue aplicar a tecnologia fotovoltaica no qual gera de energia elétrica para uma casa por meio da luz do sol.

Utiliza de painéis solares que capturam a luz solar e a partir desse momento consegue gerar uma economia de até 95% na conta de luz.

Esse tipo de energia está em alta e, mesmo as usinas solares fotovoltaicas estarem em foco nas mídias, o número de projetos de energia solar residencial conectados à rede para geração distribuída vêm crescendo.

Os projetos instalam nos telhados das casas pequenos geradores de energia elétrica acionados e movidos por energia solar ou painel solar, possibilitando ao consumidor residencial a geração de toda ou parte da energia elétrica consumida.

Essa energia produzida chega a economizar até 95% em sua conta de luz no que resulta em um sistema de compensação de eletricidade. Os geradores ou conhecidos como sistemas fotovoltaicos, funcionam através de dois principais componentes:

  • Inversor interativo;
  • Os módulos fotovoltaicos (placas solares ou painéis solares).

O sistema fotovoltaico é aplicado por dois tipos, mas depende de sua instalação e funcionamento, então, podendo ser o sistema fotovoltaicos On-Grid (conectados à rede elétrica) ou o sistemas fotovoltaicos Off-Grid (isolados da rede elétrica).

A maioria dos sistemas instalados no Brasil são On-Grid, por causa da regulamentação vigente no país no qual torna esse modelo de sistema mais viável em questão de preço.

O painel solar residencial é um agrupado de módulos fotovoltaicos (placas solares) e devem estar expostos sob a luz do sol e, geralmente, são fixados sobre os telhados do imóvel.

Cada projeto tem um consumo específico de energia e a quantidade de placas solares deve ser na medida certa da residência.

Por ficarem expostos à luz do sol e às variações climáticas, as placas são produzidas para resistirem essas situações ,tendo vários sistemas de proteção e segurança.

Descubra mais informações sobre o projeto hidráulico residencial

É essencial planejar de forma correta um Projeto Hidráulico Residencial, pois é responsável para indicar os melhores lugares para a instalação dos componentes de um sistema hidráulico como, por exemplo, tubulações, caixas de inspeção.

Também projeta outros pontos para as redes de água fria, água quente, escoamento de água pluvial, esgoto e captação de água para reuso.

Sua importância consiste em elaborar os sistemas dentro dos parâmetros da planta da casa, no qual evita falhas na montagem.

O projeto gera economia por meio da contabilidade prévia dos materiais e maquinários, e tem poucas manutenções. Para desenvolver um projeto bem estruturado é preciso seguir alguns passos.

A primeira etapa realiza uma análise da planta no qual identifica as necessidades do ambiente. Depois, cria-se uma planta hidraulica complementar, contendo todos os sistemas esboçados nos locais corretos e com a checagem da aprovação do cliente.

Depois é necessário entregar à contabilização dos materiais e aparelhos precisos para que se inicie a instalação. Já a última fase consiste na implantação do projeto hidráulico residencial.

O projeto hidráulico residencial precisa seguir as normas de segurança e vantagens. Uma dela é a documentação de todos os procedimentos.

O cliente tem a planta do projeto e todo o conhecimento do que será feito e quanto tempo, sem recorrer a nenhuma decisão ou implantação às sombras.

Esse benefício de documentação inclui a contabilização de tudo para o andamento, sem agregar prejuízo de sair do orçamento. Ou seja, será finalizado dentro das expectativas com qualidade e sem precisar de manutenções surpresas.

Fique por dentro da mangueira para irrigação

Para uma irrigação eficaz não basta apenas ter uma Mangueira para irrigação certa, é preciso saber e colocar em prática as técnicas de irrigação para aplicar em terreno, plantas e a jardinagem de forma geral.

A irrigação empregada de forma certa aumenta a produtividade e diminui gastos com o uso da água e energia, existem alguns tipos de irrigação:

  • Irrigação por aspersão;
  • Irrigação por superfície;
  • Irrigação por gotejamento.

A irrigação por aspersão, é um sistema de irrigação mais popular, pois simula um tipo de chuva para limpar e hidratar jardins e gramados.

São muito fáceis de instalar e de serem movidos, versáteis e alguns tipos têm um sistema programáveis para ajudar no serviço. Beneficiam qualquer terreno (regular, irregular ou acidentado), ajustáveis e cobrem áreas diferentes.

A segunda irrigação por superfície, esse sistema é utilizado por antigos agricultores e jardineiros atuais, no qual o método de irrigação é realizado por inundações e por sulco, como a irrigação direta em volta de árvores e arbustos.

É um irrigação suave e gradual, funcionando em curvas da gravidade. As vantagens agregada com baixo custo e pouca mão de obra, somente precisa de uma mangueira para irrigação mais uma enxada de jardim para efetuar a manutenção.

A irrigação por gotejamento, é mais lenta e controlada, levando a água diretamente para as plantas ao invés da área, ela consegue manter o solo mais uniformemente úmido e com bastante oxigênio tendo um equilíbrio em vez de flutuações no qual do florescer das raízes.