Equipamentos que você vai querer ter em casa

Para boa parte das pessoas, a casa é uma espécie de refúgio: trata-se de um local onde é possível relaxar e escapar do stress da vida cotidiana e das cobranças da vida profissional.

Contudo, também há quem a veja como um investimento, já que um imóvel com benfeitorias interessantes e em bom estado de conservação pode ser vendido por um valor alto alguns anos após a aquisição, gerando um bom retorno para os proprietários.

De um modo ou de outro, boa parte das pessoas investe somas consideráveis em itens como moveis de quarto e outros cômodos, reformas, acabamentos nobres, entre outros itens.

A ideia é tanto fazer com que os ambientes tenham um apelo estético melhor, que combine com o gosto dos donos, quanto valorizar a edificação, fazendo com que ela se valorize.

Quer aprender mais sobre isso? Então continue lendo e confira alguns itens que você pode instalar em sua casa para que ela seja mais cômoda e gere um retorno financeiro maior no ato da venda:

  1. Móveis planejados

Atualmente, os lançamentos imobiliários chegam ao mercado com unidades cada vez menores. Na prática, isso significa que os moradores contam com uma área útil cada vez menor, fazendo com que decorar seus espaços seja um desafio significativo.

A boa notícia é que há uma maneira de aproveitar cada centímetro de área de forma eficiente, e, ao mesmo tempo, garantir que os cômodos tenham um bom apelo estético: os móveis planejados.

Trata-se de peças de mobília projetadas e desenvolvidas especialmente para o espaço no qual serão instaladas, o que permite enaltecer seus aspectos positivos e disfarçar os seus defeitos.

Outra vantagem desse serviço é o fato de que ele permite uma customização muito maior dos móveis que serão instalados no local.

No caso dos moveis planejados para quarto de casal, por exemplo, é possível personalizar aspectos como:

  • Tamanho da cama;

  • Altura da cama;

  • Divisão interna de armários e cômodas;

  • Tipo de madeira usada na sua fabricação.

Desse modo, o cômodo fica muito mais prático e bonito. Por conta disso, considera-se que imóveis com mobília planejada valem mais do que aqueles que não contam com ela, o que, por sua vez, se traduz em um retorno maior na hora de alugar ou vender.

  1. Estruturas de acessibilidade

Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) indicam que algo ao redor de 23% da população brasileira é portadora de algum tipo de deficiência.

Na prática, isso significa que tais cidadãos dependem de ferramentas de acessibilidade para que tenham pleno acesso a edifícios, sejam eles públicos ou privados.

Por conta disso, o Estatuto da Pessoa com Deficiência (Lei 13.146/2015) estabelecem alguns padrões mínimos para que eles possam transitar por diversos espaços de maneira autônoma.

Apesar de esse diploma legal não fixar obrigações para residências, é altamente recomendado que casas nas quais residem pessoas com dificuldades de locomoção sejam adaptadas para elas.

É interessante, por exemplo, contar com uma a plataforma para deficiente que é uma espécie de elevador, com a diferença de que ela não precisa de uma casa de máquinas para funcionar. Assim, tal aparato permite que um cadeirante suba e desça escadas sem depender de outras pessoas.

Vale ressaltar que esse aparato, assim como muitos outros, deve passar por procedimentos de manutenção preventiva periódicos.

O objetivo é identificar defeitos que ainda não se tornaram aparentes antes que eles tomem grandes proporções e prejudiquem o funcionamento da plataforma.

  1. Tecnologias de automação residencial

Atualmente, fala-se muito a respeito de automação industrial. Praticamente todos sabem que ela veio para ficar, o que, por sua vez, faz com que seja muito improvável que o seu uso regrida nos próximos anos.

Apesar disso, há outra tecnologia tão impactante quanto, mas que não é tão discutida: a automação residencial, também conhecida como smart homes.

Como o próprio nome dá a entender, um projeto de automação residencial se trata de planejar a instalação de componentes que permitam o controle do imóvel de uma forma inteligente e automatizada, a partir de um comando de voz ou até mesmo de um aplicativo para smartphone.

No último caso, o controle acontece à distância, permitindo que o morador tranque e destranque portas, verifique e mude a temperatura do termostato, acenda e apague luzes, entre outros.

Assim, há um ganho de praticidade palpável, além de uma valorização financeira do imóvel.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *