Conheça os diversos modelos de forro disponíveis

Ao longo da construção de um teto e forro, seja uma casa ou um estabelecimento comercial, muitas decisões precisam ser tomadas, para que o projeto seja apresentado de uma maneira adequada à sua finalidade.

Com o objetivo estético ou para facilitar as instalações elétricas, a escolha do tipo de revestimento é um desses dilemas essenciais de uma obra.

Para quem almeja sair da pesquisa básica, que muitas vezes se resume a “forro pvc preço“, dentre as opções existentes no mercado, estão os forros de PVC, de madeira, drywall ou gesso.

As alternativas possuem importantes variações de preço, usabilidade e funcionalidade entre elas. E alguns dos principais tipos disponíveis no mercado e suas características estão listados a seguir:

Forro de PVC

Um dos revestimentos considerados mais comuns, o forro de PVC é resultado de uma mistura entre petróleo e sal.

E, dentre essas vantagens, está a não necessidade do uso de massa corrida ou de pintura, além da instalação mais veloz e com pouca sujeira.

Há ainda a questão da maior durabilidade, que conta como fator positivo para essa opção e, consequentemente, seu bom custo-benefício.

Porém, quem escolhe a cobertura em PVC também encontra dificuldades: o material não consegue isolar o calor, não é ideal para o isolamento sonoro do cômodo e não resiste ao fogo.

Ainda assim, apesar de não precisar de pintura, há a opção de já encontrar o forro de PVC colorido, que chega inclusive a imitar a cobertura de madeira esteticamente.

Forro de madeira

Com esse tipo de material, os preços costumam variar bastante, porque o valor vai depender do tipo de madeira escolhida.

Porém, a estética do projeto arquitetônico conta como importante vantagem. Além disso, o forro de madeira é de fácil execução.

Além disso, pode ser utilizado em áreas externas, tem durabilidade e é feito de um material renovável e biodegradável.

Já dentre os pontos negativos, quem optar por esse revestimento terá pela frente dores de cabeça com a baixa resistência ao fogo.

Além da presença de cupins, o que pode gerar grave dor de cabeça, caso não haja manutenção constante.

Forro drywall ou gesso

Um dos mais encontrados em planos arquitetônicos, o forro de gesso se divide entre tradicional e drywall. Apesar de muito parecidos, ambos se distinguem, basicamente, em relação ao tamanho.

O primeiro, é feito com placas moldadas de gesso: o material é encaixado e, como inconveniência, a finalização acaba gerando muita sujeira.

Já o segundo, que também pode ser chamado de gesso acartonado, é feito para quem deseja fugir de uma instalação mais “bagunçada”.

Pois seu processo é rápido e o resultado é semelhante ao original. A instalação do forro de drywall é feita em uma estrutura de metal, na qual as placas são fixadas.

Esses tipos de cobertura possuem inúmeras vantagens como:

  • Bom isolamento acústico;
  • Isolamento térmico;
  • Iluminação embutida;
  • Fácil manutenção;
  • Custo-benefício.

Porém, dentre os prejuízos dessa escolha, a falta de cuidado com a umidade pode gerar trincas e rachaduras, que acabam se destacando.

Forro metálico

Mesmo tendo marcado a metade do século passado, o revestimento metálico ainda é atual e é usado em diversas concepções, para apresentar um diferencial.

Já que proporciona um ótimo efeito estético. Esse efeito é graças a variedade de formatos e colorações disponíveis no mercado.

Dentre as vantagens, o consumidor que optar por esse estofo ainda pode encontrar no material resistência à umidade.

Sem contar a ausência de dor de cabeça com pragas e a possibilidade de instalação removível, o que facilita caso haja interesse por outro modelo de forro.

Porém, dentre os malefícios, está o baixo isolamento sonoro e térmico e as complicações em caso de instalação em área de maresia.

Forro de cimento

As decorações com estilo mais rígidos estão em alta e, com elas, o forro de cimento. Esse tipo específico de revestimento dispensa pintura.

O que faz dele uma escolha mais barata e rápida, além de ter um apelo estético evidente, graças ao estilo de decoração escolhida e é considerado resistente à umidade.

Dentre uma de suas únicas desvantagens, a opção escurece o espaço, o que acaba por obrigar o projeto a pensar em outras regiões de iluminação.

Sejam eles naturais, com janelas, ou artificiais. Os inúmeros tipos de cobertura, têm características variadas e se adaptam melhor a determinados locais e objetivos.

Assim como outras escolhas da casa, eles se configuram como uma escolha muito individual e personalizada de cada projeto.

Porque refletem não apenas a necessidade do dono da casa ou do estabelecimento, por exemplo, mas quanto dinheiro ele pretende demandar com essa escolha.

Se ele precisa de um isolamento acústico maior ou mesmo preza mais por uma identidade visual mais marcante.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *